Eu sempre quis influenciar as pessoas positivamente

23/01/2017 – Jeferson Costa tem 22 anos, começou a lutar jiu-jitsu na Igreja Universal com 12 anos de idade e desde então tem tido uma trajetória de vida voltada para as artes marciais e para ajudar as pessoas.

Eu comecei a lutar na Igreja, fiquei um ano lá fazendo jiu-jitsu e eu gostava muito, só que o projeto da Igreja acabou. A minha mãe então me levou para fazer boxe na Luta pela Paz, mas como não havia o jiu-jitsu na Academia nessa época, eu fazia em outro projeto. Quando fiquei sabendo que a Luta pela Paz tinha começado a oferecer o jiu-jitsu, eu vim pra cá. E comecei a fazer luta-livre aqui também. A abordagem era totalmente diferente da outra academia e eu resolvi ficar. No projeto anterior, eles incentivavam muito a rivalidade entre as equipes.

 Em 2013 eu passei a fazer parte do Conselho Jovem representando a luta-livre e em 2015 passei a representar o jiu-jitsu. No início de 2016, sai do Conselho para dar oportunidade para outro jovem fazer parte do Conselho Jovem e dedicar meu tempo para trabalhar como auxiliar da Luciana Neder, coordenadora esportiva da LPP e conhecida por todos como Lú. Eu também recebi uma proposta da Igreja Universal para dar aulas de jiu-jitsu para os jovens e queria muito participar desse projeto e ajudar as pessoas.

 As aulas na Igreja eram boas, eu tinha muitos alunos, mas infelizmente a Igreja resolveu não dar continuidade às aulas. Eu fiquei muito triste porque as crianças estavam querendo ter aula, estavam me procurando e eu não queria abandoná-las. Conversei com a Lú e com a Lola Werneck, coordenadora de Liderança Juvenil, e elas me apoiaram muito. Elas foram fundamentais para me ajudar a construir um Projeto em que eu conseguisse continuar dando aula para aquelas crianças.

 Foi assim que eu comecei o Projeto Recomeçar. Procurei alguém que cedesse um espaço em que eu pudesse dar aulas e com o apoio das pessoas, aos poucos o Projeto foi tomando vida. Eu queria tirar as crianças da rua. As crianças que têm muito tempo livre podem acabar se espelhando em pessoas ruins. Agora elas têm a oportunidade de ver que há outra opção, dá pra ter outro tipo de herói, outro tipo de pessoa para ser um exemplo, uma inspiração.

 Hoje eu posso dizer que o meu sonho está sendo realizado. Parece que estou vivendo ele. Eu sempre quis estar a frente, ser um líder e influenciar as pessoas positivamente. Esse ano está previsto que o Projeto Recomeçar participe do projeto Maré Unida da Luta pela Paz, que visa treinar, capacitar e unir as pessoas de diferentes áreas da Maré.

As aulas do Projeto Recomeçar–Artes Marciais acontecem na Quadra do Gato – às segundas, quartas e quintas às 19hs e aceita pessoas a partir dos 6 anos de idade.