O esporte como ferramenta de reabilitação em Kingston, Jamaica

17/05/2017 – A Luta pela Paz concluiu recentemente a segunda fase de um programa de treinamento de esporte para o desenvolvimento para agentes penitenciários em Kingston, Jamaica. Esta última etapa, que foi a continuação de um curso original de três dias organizado em dezembro de 2016, foi realizado em parceria com o Departamento de Serviços Correcionais da Jamaica (DCS) e faz parte da estratégia do Departamento para incluir mais atividades esportivas na reabilitação de prisioneiros jamaicanos.

Em dezembro, os guardas participantes foram convidados a participar de um treinamento de três dias, durante o qual foram apresentados à metodologia da Luta pela Paz e à importância de incluir habilidades de vida em sessões esportivas. Os oficiais aprenderam sobre as características de um treinador que integra essas habilidades em suas atividades, bem como os valores organizacionais e a eficácia do boxe e das artes marciais como uma forma de gestão da raiva e ferramenta de redução da agressividade.

Enquanto o primeiro curso se concentrou em apresentar os valores, metodologia e metas da Luta pela Paz, o segundo curso focou nos aspectos práticos de aplicar essas habilidades recém-aprendidas. O treinamento incluiu monitoramento, avaliação e aprendizagem (MEL), e como planejar e dar aulas de esporte com competências de vida integradas. Também teve treinos de capoeira – a arte marcial escolhida para ser introduzida em certas instalações correcionais.

De acordo com o Senador Pearson Charles, Jr, Ministro de Estado da Segurança Nacional, o curso foi muito benéfico para os esforços do Ministério ao proporcionar uma reabilitação mais eficaz em suas prisões. “Nossos oficiais e prisioneiros se beneficiaram da inclusão da arte marcial brasileira, da capoeira e do treinamento em competências para a vida, uma vez que atende interesses variados de nossos presos e agrada grande parte da nossa população encarcerada, que é formada por homens”, informou o senador. “Estamos empolgados com a possibilidade de uma parceria bem sucedida uma vez que nos esforçamos para transformar vidas e criar cidadãos produtivos que estão preparados para serem re-inseridos na nossa sociedade”, acrescentou ele mais tarde.

Thelma Grayson, uma das agentes correcionais que participou do curso também falou a respeito do sucesso do programa de treinamento. “O treinamento através da Luta pela Paz foi esclarecedor e realmente me motivou”, revelou Thelma. “Eu sai do curso apta para iniciar o programa de ensino de competências de vida através do esporte para o desenvolvimento, de modo a facilitar a mudança comportamental nos jovens”, ela adicionou.