Na Ativa: novo projeto do pilar Empregabilidade da Luta pela Paz

14/12/2016 – O projeto Na Ativa, iniciado em julho, acaba de formar 21 jovens. Com duração de 3 anos e patrocinado  pela Ikea Foundation e Wise, o projeto Na Ativa pretende formar 856 jovens até junho de 2019 – 510 jovens no módulo básico, 197 no específico e 149 no nível técnico.

No curso de formação básica o jovem aprende a refletir sobre si mesmo e suas escolhas, passando a fazer um planejamento de suas ações futuras e a ter um projeto de vida. Ele desenvolve sua autoestima, analisa questões familiares, aprende a controlar suas finanças, além de ter apoio em todo o desenvolvimento profissional voltado para o mercado de trabalho. O jovem também aprende a se apresentar e a se colocar em entrevistas de emprego, recebe dicas sobre processo seletivo e identifica suas competências técnicas e comportamentais.

Segundo Juliana Setubal, coordenadora do projeto, o tipo de formação básica é a que prepara o jovem para a vida, em que ele se conhece, faz uma autoavaliação, aprende e se desenvolve, ficando apto para ingressar no mercado de trabalho. “Já a formação específica qualifica o profissional para atender a demanda de uma determinada área dentro de uma empresa ou para vagas em áreas em que o mercado está aquecido. Por enquanto, serão oferecidos 5 cursos porque têm alta demanda no mercado: auxiliar administrativo, telemarketing, técnico de vendas, introdução a logística e recepcionista”, explica Juliana.

A última formação oferecida pelo Na Ativa é a técnica. As aulas serão dadas por professores da Luta pela Paz na própria LPP e a certificação será feita pelo parceiro Colégio e Curso Daltro Netto. A formação técnica vai oferecer cursos  de administração, formação de professores, secretaria escolar e recursos humanos.

Para participar do programa, o jovem deve ter entre 16 a 29 anos, estar estudando a partir do nono ano do ensino fundamental ou já ter concluído o ensino médio. Com a inserção no mercado de trabalho, cada novo jovem empregado, garante o investimento para a formação de um outro jovem. Futuramente, a meta é que o programa se torne autossustentável e passe a fazer parte da Luta pela Paz, beneficiando mais jovens em todo o mundo.