LPP organiza espaços de discussão com jovens da Maré

Os Grupos de Gênero e Sexualidade e de Raça e Etnia juntamente com o Conselho Jovem e o Suporte Social da Luta pela Paz, em parceria com outras ONGs, têm realizado atividades sobre temas inerentes ao dia-a-dia da vida dos jovens moradores da Maré.

Nos dias 31/08 e 01/09 as equipes de Gênero e Sexualidade, Suporte Social e o Conselho Jovem promoveram a I Feira de Saúde da LPP. Foram realizadas oficinas com os alunos da LPP voltadas para 4 temas principais: paternidade responsável, prevenção das DST/Aids, conhecimento do corpo e diversidade sexual. A Feira de Saúde da LPP contou com a presença de representantes dos postos de saúde Américo Veloso e do Posto de Saúde Presidente Samora Machel. A LPP também participou da Feira de Saúde da Maré, que acontece anualmente e é organizado pelo Grupo Conexão G.

As equipes de Gênero e Sexualidade e de Raça e Etnia, em parceria com a Redes de Desenvolvimento da Maré, realizou o Seminário Tereza de Benguela no Centro de Artes da Maré, em julho. O tema central do evento foi:  “O que as pretas têm a dizer? Racismo e machismo no dia-a–dia da mulherada”, e contou com a presença de 4 mulheres negras (Flavia, jornalista; Bieta, artista; Tamires Santana, lutadora de Luta Livre da LPP e Patricia Rivera, cientista social), que compartilharam suas vivências, desafios e conquistas. O seminário foi regado por apresentações culturais como  apresentação da capoeira da LLL, performance de Bieta sobre a Orixá Nanã, músicas da Banda Crônicos, formada por adolescentes que compõem suas próprias canções. No final do evento os participantes fizeram uma grande roda de ciranda e o público apreciou pratos típicos da cultura negra.

De acordo com a Vivi Carmen, assistente social, a equipe de Gênero e Sexualidade já tem uma nova ação planejada: uma Roda de Conversa com adolescentes de 14 a 17 anos, que vai acontecer às quintas-feiras, a partir de 29/9, e vai abordar temas sobre mudanças no corpo, relacionamentos, família, etc. “Esta iniciativa surgiu a partir de uma avaliação, feita após a Feira de Saúde da LPP, em que constatamos a necessidade de firmarmos espaços permanentes de discussão com adolescentes sobre temas que extrapolem o espaço da cidadania”, explica Vivi.