Jô Mello – um exemplo de vida no muay thai

07/11/2017 – Maria do Socorro de Mello, mais conhecida como Jô, tem 29 anos e frequenta a Academia Luta pela Paz há 5 anos.

“Eu sou natural do Ceará, de Fortaleza, mas estou no Rio há 12 anos. Conheci meu ex-marido no Ceará e vim para o Rio casar e morar com ele, que era daqui. Nós moramos na Vila do Pinheiro, na Maré, mas depois de dois anos nos separamos e eu fui morar sozinha na Nova Holanda, onde uma amiga me apresentou a Luta pela Paz. A primeira aula que eu fiz foi de boxe. Depois é que eu fui experimentar outras modalidades.

Fiquei um tempo fazendo luta-livre e muay thai e participei de vários campeonatos de luta-livre, mas devido a um problema no joelho, passei a fazer e a competir apenas pelo muay thai.

Na época em que eu entrei na Luta pela Paz, havia pouquíssimas mulheres fazendo muay thai, e eu era a única que competia a modalidade. Hoje em dia tem muitas mulheres e eu me sinto muito feliz e meio responsável por isso. Eu estava sempre lá treinando, me dedicando, persistindo, participando de campeonatos… Acho que de certa forma, me ver, servia como motivação. Elas podiam se espelhar em mim.

Hoje eu sou monitora do Allan, professor de muay thai e quando eu vejo as mulheres na aula eu fico tão feliz! Eu tento sempre representar as mulheres da melhor forma possível e mostrar para elas que eu to ali, dando apoio e força, mostrando pra elas que elas não estão sozinhas e que elas podem crescer, evoluir e se tornarem campeãs!

Eu gosto muito de participar do Projeto, de estar lá. Me sinto acolhida, me sinto muito bem!
Lá eu faço o que eu gosto dando apoio aos alunos e acho que não me sentiria tão bem se estivesse em outra academia, sem estar ajudando outras pessoas.