APROVEITANDO AS OPORTUNIDADES NA CIDADE DO MÉXICO

02/02/2018 – Lucia Rodríguez* é membro de um programa ministrado por duas organizações parceiras da Luta pela Paz no México – Casa Alianza e Angel’s de Lima Lama. Lucia vivia nas ruas e conseguiu fazer grandes mudanças em sua vida graças a sua paixão pela arte marcial de Lima Lama e ao apoio de seus treinadores e mentores. Aqui, Lucia nos conta aonde um pouco de dedicação e algumas oportunidades podem nos levar:

(*este nome está sendo usado para proteger a identidade da pessoa em destaque neste artigo. Este não é o seu nome verdadeiro)

Gostaria de contar-lhes minha história. Espero que ela ajude a ver que a vida é apenas o que você faz dela e não as circunstâncias em que você vive. Meu nome é Lucia Rodríguez e em 2015 comecei a minha jornada com a Casa Alianza e Angel’s, organizações que se baseiam no desenvolvimento de jovens através das artes marciais.

No início, eu vi não vi as artes marciais como uma oportunidade de mudar a minha vida, mas como uma distração, um passatempo. Eu não tinha família, educação ou objetivos a atingir. Eu estava lutando contra os vícios, o que gerava em mim um comportamento agressivo e eu acabava criando muitos conflitos com as pessoas ao meu redor. Quando eu comecei a frequentar a Angel’s, percebi que toda a raiva que eu tinha acumulado poderia ser transformada em algo positivo. Aprendi que, com perseverança, você pode transformar a sua vida e foi exatamente isso o que eu fiz, me esforcei um pouco mais e aproveitei as oportunidades que estavam à minha frente.

Alondra_text2_05.02.2018

Fazer artes marciais traz muitas recompensas, te ajuda a adquirir disciplina, te motiva a se dedicar e a melhorar suas técnicas. Ser uma garota em um esporte que geralmente é considerado masculino me deu uma sensação de empoderamento e de conquista. Eu já participei de 15 torneios e, apesar de ter perdido em algumas ocasiões, sei que a derrota é tão importante quanto a vitória, porque nos motiva a querer crescer e lutar mais. Foi isso que o meu treinador me ensinou e que aprendi no caminho. Como o meu treinador disse uma vez, “a vida depende de como a interpretamos”.

Pensar que uma mudança tão pequena na minha vida poderia ter causado uma diferença tão significativa, parece improvável, mas ninguém nunca começou do topo. Todos nós temos um começo e chegar ao topo é o que torna a vida interessante. Agora eu estudo, trabalho e treino. Eu quero ajudar a moldar o futuro de crianças que têm uma história semelhante à minha. Não quero mudar apenas a minha vida, quero inspirar e servir como exemplo para os jovens. Quero mostrar que eles podem fazer o que quiserem – que eles podem aproveitar as pequenas oportunidades que a vida lhes dá e transformá-las em possibilidades.